Menu em imagem

Image Map

12 setembro 2015

{Resenha} ~ Joyland - Stephen King ~

Quando li: Setembro, 2015.
Título: Joyland
Autor(a): Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 239
Avaliação: 
Onde comprar? Submarino | Americanas | Saraiva

Sinopse: Joyland - Um pequeno conselho: não se aventure numa roda-gigante em uma noite chuvosa.
Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando o seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.
Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado - e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria.
O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar, perder, sobre crescer e envelhecer - e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.

Eu realmente preciso começar essa resenha repetindo a frase de efeito da sinopse: NÃO SE AVENTURE NUMA RODA-GIGANTE EM UMA NOITE CHUVOSA.

Acabei de ler o livro anteontem. Inicialmente, queria redigir essa resenha assim que o acabei, aproveitando que as emoções ainda estavam à flor da pele. Mas depois pensei: Não, a resenha tem que ser técnica, por isso, nada de emoções demais, mocinha! E agora, dois dias depois de lê-lo, ainda estou arrepiada. O que dizer sobre isso? Simples. Direi que um pouquinho de emoção nunca é demais, concordam?



Serei breve, pois se eu me aprofundar muito acabarei dando spoilers, e essa não é a minha intenção. A sinopse do livro já fala muito sobre o que encontraremos na estória, por isso, vejamos o meu parecer sobre a mesma.
Vamos lá?

Devin Jones. Um universitário comum, com uma namorada comum, com um carro comum, com um emprego comum, com uma vida comum. Diante de tanta mesmice, ele vê uma oportunidade de sair do marasmo e de quebra ganhar uma grana extra. No verão de 1973, ele aceita um emprego de faz-tudo em um parque de diversões. Mal sabe ele que esse emprego mudará a sua vida para sempre. Ele nunca mais fora um cara comum. Palavras do próprio. E é ele quem nos conta sua história.

Joyland é um parque de diversões clássico, daqueles que encontramos em cidades pequenas. Lá conheceremos várias pessoas com alma de parque. Outras que têm somente aura de parque. Conheceremos Howie, o Cão Feliz. O mascote é amado tanto pelos Bobs novos quanto pelos velhos. Aprenderemos a dançar o Pop Pop, e que usar a fantasia não é tão ruim assim. Em Joyland tem borla todo dia. Às vezes, ouve-se a triste notícia de que deu louro. As graças sempre ganham os melhores prêmios, mesmo quando não acertam nenhum pintinho na barraca do bang-bang. Em toda e qualquer espelunca tem um peido... ah, esses são realmente chatos! Mas, o pior era ter que lavar o pinto! - Não entendeu nada do que eu disse? Faz sentido. Esse é o Colóquio. Uma linguagem típica de parque. Quer saber o que eu disse nesse parágrafo? Então deixe de ser Bob e leia o livro! Haha.

Apesar de todos esses atrativos, o que realmente faz do parque um sucesso é o trem fantasma. Há muitos anos uma garota foi brutalmente assassinada dentro dele, e desde então, conta-se que ela - Linda Grey - assombra o brinquedo. Dev e seus novos amigos, Erin e Tom, ficam imediatamente interessados no assunto. Quanto mais se ouve falar do assunto, mais misterioso ele fica.

Além de ter que lidar com o trabalho duro, com uma fantasia insuportavelmente quente e com um brinquedo assombrado, Dev também tem que lidar com um coração partido e com visões de uma vidente do parque, Madame Fortuna, teve a respeito de sua vida. O que aparentemente era charlatanismo começa a se concretizar, fazendo com que Dev estenda a sua temporada em Joyland a fim de elucidar os mistérios que rondam o parque e também a cidade. Para tanto, Dev conta com a ajuda de Mike, um garotinho com uma doença muito grave e com um sexto sentido muito aguçado.

Nesse livro conheceremos um lado até então pouco conhecido de Stephen King. Temos menos terror e mais suspense, fazendo com que larga-lo seja quase impossível. Como sempre, a estória foi muito bem amarrada, tudo foi muito bem dosado. Pitadas de terror e comédia. Altas doses de suspense e emoção. A narrativa é ágil e simples, e o uso do Colóquio - sim, ele existe! - enriqueceu ainda mais a leitura. Temos a sempre presente ironia de King. Dessa vez, um pouquinho mais amarga, fazendo com que os diálogos ficassem ainda mais interessantes. O livro não tem capítulos, e no início isso me deixou um pouco perdida, mas depois vi que o fato fez com que a estória ficasse ainda mais envolvente.

Leitura obrigatória para quem é fã de King.
Para quem não é fã, tenho um recado: VOCÊ NÃO SABE O QUE ESTÁ PERDENDO, BABY!

Leia e me conte se não sentiu seus cabelos sendo bagunçados pelo vento frio, se não se arrepiou com a água gelada da chuva, se não pode ouvir os gemidos do guindaste.

Apenas leia.


8 comentários:

  1. Oi Fabíola!
    Apesar de ser muito famoso e muito comentado, nunca li nada do autor! Pelo visto, estou perdendo muito hahaha Adorei a resenha e me interessei muito por este livro, adoro suspense. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniela, dê uma chance ao cara! Você não vai se arrepender, rs!
      Ele tem vários títulos super incríveis. Você o verá sempre aqui no blog, pois eu o adorooooo!!!!!
      Beijos!

      Excluir
  2. Super amei,como sempre!Abrindo uma aba no submarino em 3,2,1 ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia e depois me conte, Tati! Será uma leitura completamente diferente, tenho certeza! ;)
      Beijos!

      Excluir
  3. Stephen King é rei, literalmente. hahahaha
    Vi que está lendo "Precisamos falar sobre o Kevin". Ainda não pude ler, mas vi o filme e achei excelente. Extremamente perturbador e bem forte. Ainda quero ler.

    Seguindo o blog!
    Beijos!
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, o próprio nome o define! Hahhaa...
      Sim, estou lendo Precisamos falar sobre o Kevin. Vamos fazer um debate literário em outubro sobre o livro! Participe conosco!
      Eu ainda não vi o filme, quero acabar de ler o livro antes de ver. O que posso lhe dizer é que estou adorandoooo!!! As impressões que tive até agora sçao as mesmas que as suas, ele é forte e perturbador! Super indico!
      Beijos!
      Obrigada por sua visita!

      Excluir
  4. Leio "tio" king desde adolescente, sou fanzoca e viajo com prazer nas viagens dele rs
    Mas esse livro e IT estão aqui na estante esperando pra serem lidos ainda rs
    Valeu a resenha! Fica a dica de leitura Novembro de 1963 do mestre.
    Obrigada pela visita ao meu blog Mundo Literário. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcia!
      Ler tio King todo mês é quase uma obrigação ne? Rsrsr... Meu mês não fica completo sem apreciar uma de suas obras! It também está me aguardando na estante... Estou enrolando porque tenho medo de palhaços! :S
      Rs...
      Anotei sua dica e já estou procurando pra comprar! Que delícia encontrar mais uma fã de King!
      Beijos, e obrigada pela sua visita! Volte sempre!

      Excluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo