Menu em imagem

Image Map

13 outubro 2015

{Resenha} ~ O Exorcista - William Peter Blatty ~

Quando li: Outubro, 2015.
Título: O Exorcista
Autor(a): William Peter Blatty
Páginas: 331
Editora: Agir
Classificação: 
Onde comprar? Submarino | Americanas | Saraiva

Sinopse: Um clássico do terror com mais de 13 milhões de exemplares vendidos. Uma obra que mudou a cultura pop para sempre. O Exorcista é o livro que deu origem ao maior filme de terror do século XX. Quatro décadas após chocar o mundo inteiro, a obra-prima de William Peter Blatty permanece uma metáfora moderna do combate entre o sagrado e o profano, em um dos romances mais macabros já vistos.


Realmente, é bem macabro.
Aliás, eu diria que macabro é pouco!
Mais um livro da série de FILMES QUE FORAM BASEADOS EM LIVROS E EU NÃO SABIA. #DesculpaAVergonha
Prepare o coração, moçada! A resenha de hoje vai tirar seu sono. Ô se vai...

Começamos no Norte do Iraque, em uma escavação que está sendo acompanhada pelo Padre Merrin, um senhorzinho experiente, que tem um encontro nada agradável com Pazuzu através de uma cabeça do demônio, uma personificação do vento do sudoeste. Seu poder era a doença e os males. Não sei dizer se aquele foi o primeiro encontro entre eles, mas algo me diz que não. Merrin consegue sentir a energia maligna que flui daquela carranca há quilômetros de distância, e sente que em breve eles se encontrarão novamente.

Depois nos encontramos com Padre Damien Karras. Logo de cara percebemos que ele está profundamente deprimido. Ele se sente em falta com a mãe, e a morte dela faz com que ele caia no fundo do poço, colocando até mesmo a sua fé em xeque.

E, em Georgetown, Washington D.C., conhecemos Chris MacNeil, uma atriz de muito sucesso, sua doce e meiga filha Regan, de 11 anos - que completa 12 durante a história - e seus fiéis empregados Karl, Willie e Sharon.


Chris é uma mulher independente que cria sua filha sozinha desde o divórcio. Ela faz tudo quanto pode para que sua filha não sinta o impacto da separação, mas, ainda assim, sente que não tem sido o bastante.

Do dia para a noite, Regan começa a se comportar de forma atípica, estranha. Ela começa a falar coisas sem sentido, demonstra uma certa inquietação, e isso chama a atenção da artista.

A garota passa por uma bateria de exames a fim de detectar possíveis problemas, mas nenhum deles diz o que ela pode ter. Ela é assistida por psiquiatras na esperança de que tudo se deva a uma doença mental rara, mas seu comportamento piora a cada dia, e nada do que é feito, nenhum medicamento administrado faz com que eles retrocedam.

Regan se torna uma garota agressiva, fala obscenidades a torto e a direito, diz que sua cama está balançando descontroladamente, sente cheiros estranhos em seu quarto, e o mesmo parece estar sempre muito frio, mesmo com o aquecedor ligado.

Em dado momento, quando os médicos se vêm impotentes, a fé de Chris é questionada. A mesma não tem crenças, mas, ainda assim, busca ajuda em uma igreja.

A partir do momento em que o Padre Karras entra em cena, os sintomas de Regan pioram. É impossível não se comover com o desespero de Chris, de não se ressentir com o padre por ele não ter fé em tudo aquilo que ele vê. O ceticismo dele passa a se tornar irritante, pois sofremos junto com a garota e com sua mãe.

Quando finalmente o exorcismo é tido como a solução para os problemas da Regan, Damien é avisado que irá auxiliar um padre mais experiente no assunto. O demôno que a habita já tem consciência de que terá um novo encontro com o Padre Merrin, e ambos sabem que essa será mais uma batalha em que somente um deles vencerá.

E é então que o bicho pega!
Neste momento temos o clímax da história.

Os padres começam o ritual de exorcismo e todos nós já sabemos como termina a história - julgo que o mundo inteiro já tenha visto o filme de terror mais incrível de todos os tempos.

Confesso que eu sou do tipo de pessoa que não se impressiona fácil com filmes e livros de terror. Claro, eles mexem comigo, mas dificilmente me tiram o sono. Mas O Exorcista me deixou apavorada! Eu não achei que fosse possível, mas o livro é ainda mais horripilante do que o filme. E olha que a adaptação para o cinema foi uma das mais fiéis que eu já vi!
As cenas são tão bem narradas que - não me achem uma maluca! - eu podia sentir o meu quarto mais frio. Eu ficava constantemente arrepiada com os acontecimentos.

Os personagens são muio bem construídos. No livro temos mais alguns detalhes que fazem muita diferença. É como se algumas pontinhas que ficaram soltas no filme - se é que diante de tanto horror é possível notá-las - fossem amarradas, e por isso a leitura não se torna maçante. A narrativa é fluida, rápida, sem delongas. O autor vai direto ao ponto e não mede as palavras, o que faz com que tudo se torne ainda mais real.

O livro não trata somente da guerra da luz contra as trevas. Ele também aborda a renovação da fé. Nos mostra que acreditar é fundamental, seja qual for a sua crença.

Leitura obrigatória para quem é fã do gênero.
E para quem não é também!
Afinal, passar um cagaço susto de vez em quando é um bom teste para os nervos.


20 comentários:

  1. Queria muito ler esse livro, mas meu medo de possessões demoníacas não tenho coragem.
    Mesmo assim a resenha ficou ótima.
    Beijo
    www.livricios.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Poliana!
      Vale a pena tentar passar por cima do medo. O livro é muito bom, e, apesar do foco ser a possessão, temos outras abordagens também!

      Beijos!

      Excluir
  2. Não é um livro que eu quero ter em mãos, eu não curto essas coisas de possessões tenho medo. Mas é um livro bom, e adorei sua resenha.

    seteprimavera.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabs, tem que ter disposição e sangue frio pra ler viu...
      Rs!
      Que bom que gostou da resenha!
      Beijos!

      Excluir
  3. Olá,
    Caramba, não sabia que o filme era baseado em um livro, mas não quero conhecer nenhum dos dois, não me dou muito bem com esse tipo de obra, sou medrosa e gosto de passar longe desse tipo de história!
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inês, até ler o livro eu também não sabia que o filme era baseado em um livro! Fiquei chocada! Haha...
      Às vezes passar por cima do medo é bom! Mas entendo que seja um tema danado de forte pra conseguir passar por cima do medo do dia pra noite, rs...
      Beijos!

      Excluir
  4. Eu não leio isso nem no vaticano hahah Apesar de me interessar pelo o tema, falta coragem hehe Também não sabia que tinha livro. #shameonus
    beijos

    http://eu-ludmilla.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lud, não tenha medo! Kkkkkkkk
      É um livro incrível! Mas tem que ter disposição viu... Rs!
      Beijos!

      Excluir
  5. Bom Dia,
    Tudo bom? Meu nome é Raquel Machado sou autora do Vingança Mortal e vi que você deixou um comentário sobre meu livro no blog Postando Trechos. Gostaria de te convidar a conhecer um pouco mais sobre minha história e também avisar que estou com parcerias abertas. Caso queira saber mais é só me enviar um e-mail raquel.machado2014@yahoo.com.br. VOu adorar te responder. PS: Se tem um filme que tenho medo com certeza é essa acho que não teria coragem de ler.
    Beijos
    Raquel Machado
    Escritora Vingança Mortal
    leiturakriativa.blogspot.com.br/p/vinganca-mortal.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel!
      Que hora receber seu comentário!

      Eu realmente fiquei muito interessada no seu livro e adoraria conhecer um pouco mais sobre ele também sobre a sua história!
      Estou te mandando um e-mail nesse segundinho! Rs...

      O livro é bem assustador, como eu disse, é ainda mais que o filme! Mas é simplesmente fantástico! A narrativa é muito diferente de tudo que li!

      Obrigada pela sua visita!
      Beijos!

      Excluir
  6. Olha.. esse é um livro que eu posso dizer com tranquilidade que não leria hahahaha
    Estou tentando explorar novos gêneros literários, mas acho que esse ai já é um pouco "out of my league".. hahahaha

    Beeijoo
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raíssa, esse livro é realmente pra quem gosta mesmo viu...
      Eu adoro terror/suspense, mas esse livro foi muito além do que eu estou acostumada a ler! :O
      Foi um desafio e tanto!
      Rs...
      Beijos!

      Excluir
  7. Biólaaaaaaa..... queroooo ler esseeee.... mas to em tratamento pra parar de comprar livros..... mas vim deixar meu recadinho pra pegar meus bônus no sorteio....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Aline, sua picareta!
      Ainda bem que vai ter sorteio todo mês! Assim vc passa por aqui sempre! Rs...
      Então... Esse livro tá em promo no Submarino! Aproveitaaaa
      Beijos!

      Excluir
    2. ahahhahahahaha livros agora só sorteio... compras só a partir de 2016

      Excluir
  8. Eu tenho medo desse livro,mas a resenha é ótima! E tô na disputa pelo livro kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem medo do livro mas num tem do filme? Eu hein...
      shIAHsuiHUIAHs
      Seus pontos estão sendo contabilizados.. Haha
      Boa sorteeee

      Excluir
  9. Oi Fabí,
    Uau que horripilante, já assisti o filme e olha se o livro é bom assim, não sei porque ainda não li. Creio que seja o problema que tenho, se leio antes do filme, não gosto do filme; se vejo o filme antes, não gosto do livro. Há raros casos em que gostei dos dois. Como por exemplo: O menino de pijama listrado, Olga, Ensaio sobre a cegueira. Esses posso dizer que gostei tanto do livro como do filme, recomendo os dois.

    Beijos Elis
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elisandra, sofro do mesmo mal que você!
      Apesar de que ultimamente eu tenho dado um bocadinho de sorte e encontrado filmes tão bons quanto os livros. Mas, sem dúvidas, o livro é sempre melhor. E com O Exorcista não é diferente!
      Ele causa ainda mais arrepios!
      Vou anotar as suas dicas para eu ler e assistir!
      Obrigada!

      Beijos!

      Excluir
  10. Eu gosto deste tipo e livros e filmes, por exemplo, eu amei o final de The vatican tapes eu gosto da força sobrenatural que uma menina pode ter (hahaha), a profundidade e dinamismo do filme me agradou, o fim é aberto a todos os filmes que podem vir mais tarde, há uma boa relação entre os personagens, excelentes performances, Michael Peña tem vindo a crescer em sua carreira no cinema; os efeitos especiais são adequadas, dar boa classificação.

    ResponderExcluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo