Menu em imagem

Image Map

21 julho 2017

{Etc e tal...} ~ Precisamos falar sobre depressão e suicídio ~

Olás,  pipows!
Como estão?
Bem, eu não estou tão bem quanto gostaria. Somente uma parte de mim está aqui falando com vocês. A outra se encontra recolhida num cantinho, tentando entender como a vida funciona, como o mundo pôde ter mudado tanto, como uma alma pode sentir tanta dor e ficar caladinha.

Passei o dia alimentando quatrocentas mil ideias de posts, cheguei a preparar uma série de fofurices e coisinhas engraçadinhas para trazer para vocês. Mas sabe, de coração, se eu tivesse seguido com o que planejei, teria sido tudo superficial demais, sem emoção. E vocês sabem que metade de mim é emoção, e a outra metade também, mesmo que não pareça. Por isso, vim bater papo sobre dois assuntos que incomodam, mas que precisam ser abordados: a depressão e o suicídio.

Ontem (pra mim é hoje, pois ainda não dormi), mais uma voz muito, mas muuuuito amada por mim, se calou para sempre. E ela se calou depois de muito gritar - literalmente. Chester Bennington não era somente uma voz potente que gritava aqui e acolá em suas músicas sensacionais, era também um cara que gritava, em silêncio, em cada uma das frases de suas canções. Cada letra era um pedido desesperado de socorro, e nós, fãs, vimos somente letras que nos inspiravam a continuar, apesar de toda a dor que sentimos. Ao ouvir suas letras, meu coração sentiu, por diversas vezes, que aquela canção tinha sido escrita pra mim, que tudo aquilo era um conforto pra mim, mas na verdade, era um pedido de socorro de seu criador, de seu intérprete, e ninguém nunca deu muita bola pra isso.

A depressão é cruel, sabe. Ela chega de mansinho. Vez ou outra, ela vem pra nos confundir mesmo - as mulheres acham que é TPM, os homens acham que é estresse. Ela é comumente ignorada por todos, e até mesmo por quem sofre desse mal. Ninguém quer ser deprimido. Ninguém quer ser julgado. Sim, pois as pessoas que sofrem de depressão são julgadas. São julgadas pelos ignorantes que não sabem do que estão falando. São julgadas pelos "fodões" com quem convivem, aqueles fodões que acham que tudo não passa de frescura, pois aquela pessoa tem tudo, então, não tem do que reclamar. São julgadas por fodões da internet que sempre têm um textão hipócrita para postar em suas redes sociais. São julgados pela família, que sempre acha que fez tudo o que pôde, e que aquela pessoa está sendo ingrata, covarde. Lembrem-se: essas pessoas que julgam podem sofrer do mesmo mal amanhã.

Talvez eu já tenha comentado aqui ou dito de maneira subliminar (sim, eu sei fazer isso muito bem), que a depressão é uma constante em minha vida. Não, eu não sofro desse mal, mas há alguém próximo que sim. Não irei entrar em detalhes por motivos de: não gosto de expor demais o assunto e também porque este assunto é muito mais complexo do que imaginamos. Mas a depressão está presente também em meus estudos, no meu dia a dia. Por isso que eu resolvi vir falar dela pra vocês hoje, mas sem nada técnico, eu juro. Hoje é dia de sentir, mais nada.

Essa tal de depressão é uma danada, sabem. Como eu disse, ela chega de mansinho, de leve... vai conquistando cada vez mais espaço, até que ela domina a mente e a alma da pessoa por completo. Não é qualquer um que sabe lidar com ela sozinho, e é por isso que há profissionais capacitados para prestar essa ajuda. Mas não pensem que só os profissionais dão conta do recado, não. É preciso que nós, os que estão envolvidos com tais pessoas, também façamos a nossa parte. Mas como fazemos isso, Fabi? E principalmente, como saber que uma pessoa precisa de ajuda sem que ela fale sobre o assunto?

Essa é a pergunta que não quer calar. Que nunca irá se calar.

Bem, não há uma receita pra isso, pipows. É claro que observar se houve alguma mudança no comportamento e se fazer presente ajuda, mas é bem mais que isso. A verdade é que a palavra chave para ajudar uma pessoa que está deprimida é empatia. Quem somos nós na fila do pão pra julgar alguém, né? É tão mais bonito, justo e digno se prestar a ouvir o que a pessoa tem a dizer antes de falar qualquer coisa e, principalmente, antes de julgar, não é mesmo? Muitos não sabem, mas uma simples conversa já impediu que diversas pessoas cometessem suicídio. Apenas ouvir pode fazer muita, mas muita diferença, mesmo!

Se você tem alguém em sua família, círculo de amigos, colegas, conhecidos, companheiros de trabalho... enfim... qualquer pessoa que possa ter mudado de comportamento nos últimos tempos, ou que tenha passado por uma perda ou por algum problema/trauma grave, mostre-se presente. Se coloque disponível para conversar! Provavelmente essa pessoa não irá se abrir com você - pelo menos não de cara -, mas sua aproximação, seu interesse, sem dúvidas, farão a diferença para ela.

Tenha empatia. Pratique empatia. ENSINE  A EMPATIA!

O mundo mudou, está cada vez mais feio. É tanta doença, fome, tristeza, morte, egoísmo, roubo, dor.... tanta coisa horrenda! Parece discurso motivacional, balelas, auto ajuda, mas ó, de verdade, nós podemos fazer a diferença sim! Um sorriso, um bom dia, um "como vai?"... tantos atos/atitudes/palavras banais que podem fazer a diferença. Então, seja a diferença, faça a diferença! Se não souber dizer algo que possa ajudar aquela pessoa naquele momento, simplesmente esteja ali. Abrace. Aperte sua mão. Sei lá. Só esteja. Não é preciso atos grandiosos para prestar ajuda, basta querer.

Quanto às lendas da música que estão partindo cada vez mais cedo, só desejo que seus corações estejam acalentados neste momento. Que a paz que tanto buscam seja encontrada. Que seus familiares e amigos não o questionem, que aceitem. Que a dor possa ser abrandada por qualquer que seja o método adotado por eles - a fé, oração ou qualquer outro tipo de crença.

Ninguém sabe o que se passa no coração do outro. Ninguém sabe quais são os fantasmas que a mente, o coração e a alma de cada um carrega. Uns conseguem passar de fase, enfrentar o chefão e passar pro nível seguinte. Outros não. Alguns precisam de ajuda para enfrentar o chefão. Precisam de um parceiro, de um bônus. E vale lembrar que nos games, quando não conseguimos, temos a oportunidade de tentar de novo. Na vida, nem sempre, pois aqueles que sofrem, podem vir a desistir sem antes tentar mais uma vez.

Queria dizer pra você que tem pensado em desistir que o suicídio não é a saída mais simples, acredite em mim. Queria abrir os seus olhos, mostrar que há vida além de todo esse sofrimento. Que, apesar de não parecer, há quem se preocupe com você, quem te ame, a quem você fará falta. Todos somos importantes para alguém, para algo, para o  mundo. Por isso, continue tentando, continue a nadar! Vá em frente! Se tá difícil seguir sozinho, procure ajuda! Já procurou mas não conseguiu? Não foi ouvido e/ou levado a sério por sua família e amigos? Procure de novo! Busque ajuda profissional! Lute!!! Às vezes a ajuda vem de onde menos se espera. Pode vir de longe... pode vir láaaaa do outro lado do planeta. Ou pode vir de Minas Gerais, uai! Me liga. Me manda um e-mail. Sinal de fumaça. Um alô!

Eu não sei se o que eu disse fez algum sentido pra você, se vai mudar alguma coisa na sua vida, nem se vai ser levando em consideração. Eu espero que sim. Eu falei pra cacete, nem sei se fui coerente, mas queria finalizar dando um recadinho pra você, que assim como tantos por aí, tem seus fantasmas, medos, dores, gritos. Queria dizer de novo que eu estou aqui pra te ouvir! Pode ser que eu não tenha nada de útil pra dizer, e como estou longe, não poderei lhe dar um abraço nem apertar sua mão. Mas poderei te ouvir. Pode me chamar, a qualquer hora, pois meu coração está sempre aberto pra receber qualquer um que queira falar. Minha alma tá sempre quentinha e pronta pra passar um calorzinho pra quem o quiser. E o meu coração também! 😉💕

Perdão pelo textão, mas às vezes, é preciso desabafar...

E para você, Chester Bennington, o meu eterno muito obrigada. Você já me salvou muitas vezes sem nem saber... sinto muito por não ter podido salvar você.


Por  mais que haja mil maneiras de expurgar as dores e sofrimentos, a música, sem dúvidas, é uma das mais bonitas. Chester, assim como tantos outros artistas que fizeram parte de minha vida - Chris Cornell, Chorão, Amy Winehouse, Cassia Eller, Curt Cobain, Jimmy Hendrix, Janis Joplin, Jim Morrison, Elvis, Whitney, Elis... e por aí vai; resolveram que era hora de partir. Muitos deles tiveram suas vidas marcadas pelas drogas, álcool, depressão. Vozes silenciadas pela própria dor. Quando a dor é demais, quem a sente, sente necessidade de agir. Como já foi dito, alguns dão a volta por cima, outros não. Quisera eu que tudo isso sobre Chester fosse apenas um boato de mau gosto.... Quisera eu.


23 comentários:

  1. Fabi, parabéns pelo post! Precisamos sim falar sobre depressão e suicídio, precisamos muito. Ontem, vi um post sobre o suicídio do Chester e as pessoas discutiam nos comentários se era coragem ou covardia, outros se perguntavam como alguém que tem tudo pode tirar a própria vida, do outro lado eu me perguntava "por que ainda estamos com a compreensão tão limitada?" Precisamos que as pessoas levem a sério os transtornos psicológicos, precisamos que as pessoas deixem de agir como se tudo fosse para chamar atenção, porque a realidade é tão diferente disso. Suicídio não teve absolutamente nada a ver com "ter", suicídio é a expressão máxima da angústia do "ser".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente, Sinéia!
      As pessoas precisam parar de tentar buscar motivos para o que aconteceu e começar a se perguntar o que podem fazer para que isso não aconteça com outra pessoa que está à sua volta. Parar de pensar no "ter", assim como vc disse.
      Ainda tenho esperanças de que um dia chegaremos lá.

      Excluir
  2. Olá, seu post foi muito comovente, adoro como você sempre se dedica a seus leitores e compartilha todas as emoções conosco. Sem dúvida falar sobre essa doença é muito complexo e mais ainda é ajudar quem está passando por esta situação, mas, como dito acima, a palavra é transformadora e mostrar disposição em ajudar é dizer as "palavras mágicas", ser receptivo com o próximo, para que este se sinta seguro caso em algum momento queira se abrir. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ALison, muito obrigada, de verdade!
      Realmente, precisamos praticar o uso constante das palavras mágicas, pois elas realmente podem fazer a diferença!
      Obrigada pelo carinho.

      Beijocas!

      Excluir
  3. nossa amiga... vim aqui pra falar tbm... mas chorei...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também me emocionei muito enquanto escrevia... emoção das grandes em cada palavra!

      Beijos

      Excluir
  4. Oi Fabi,
    Faço das suas as minhas palavras !
    Conheço pessoas que passam por isso e sei como um "Estou aqui pra vc" ou " Eu vou de ouvir " ajuda a muito uma pessoa !

    Estou sem palavras !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ajuda e faz toda a diferença, Mich! Faz milagres!

      Beijocas

      Excluir
  5. Olá Fabi!
    Só posso dizer que seu texto foi lindo, perfeito, emocionante! Na verdade não há adjetivos para nomear.
    Perdi minha avó para a depressão e sei o quanto isso dói, o quanto a gente se sente culpado por não ter percebido. Naquela época, dez anos atrás, essa doença não era tão conhecida e divulgada como é hoje, a gente achava que era só uma tristeza, um cansaço, uma melancolia, e não era, era bem mais, era muiiiito mais, quando procuramos ajuda infelizmente já era tarde.
    E como é triste ver uma pessoa que você ama tanto se entregar.
    O Chester fez parte da minha adolescência, hoje não o acompanhava com o mesmo fervor, mas a notícia da sua morte me pegou em cheio, fiquei triste e continuo triste. Desejo que ele descanse em paz.
    Faço minha as suas palavras: Você já me salvou muitas vezes sem nem saber... sinto muito por não ter podido salvar você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perder alguém pra uma doença tão silenciosa e sofrida deve ser realmente muito doloroso, Iêda! Mas, infelizmente, certas tragédias precisam acontecer para que possamos ficar atentos às pessoas que estão à nossa volta. Foi o que aconteceu comigo.
      É preciso ter atenção, cuidado e amor!

      Beijocas

      Excluir
  6. Oi Fabi.
    Seu texto foi lindo e acolhedor. Quando eu vejo comentários sobre a depressão o meu emocional vai lá pra cima. Perdi uma amiga de infância pra essa danada. Infelizmente, a depressão dela era muito forte e nada do que fizemos surtiu alguma melhora. Acho super importante usar esse meio de comunicação pra levar essa mensagem de solidariedade e carinho. Várias vezes me tranquei no quarto e abri um livro pra escapar do mundo que não é fácil. A vida não é fácil e as pessoas também não. Sobre o Chester, já tinha percebido as letras das músicas escritas por ele e a forma como ele cantava elas, me parecia que estava realmente buscando por ajuda. Só que a gente não advinha e nem percebe muitas vezes. É triste saber isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito por sua amiga, Nay!
      Infelizmente, muitas das vezes quando percebemos a depressão do outro, já não é possível voltar atrás. Sempre que posso deixo meus canais abertos às pessoas que querem conversar, pois isso faz bem não só a elas, mas a mim também. Espero que um dia todos pensem assim como eu...

      Beijocas

      Excluir
  7. Aaaain Fabi...Lendo suas palavras me animei um pouquinho.
    Me sinto sozinha dmais, longe da família, não sou de mtos amigos e os que tinha o tempo e a distância levou, talvez nem era tão amigos como imaginei, mas enfim, perder alguém q a gte ama e que é especial pra gte é de grande tristeza msm, seja da família, do convívio, um ídolo, até msm aqueles preconceitos que insistem em dar asas por aí sempre nos faz repensar em tantas coisas, graças á Deus estou conseguindo me reerguer em relação ao preconceito dos meus quilinhos á mais, estou prestes á mudar minha vida pra melhor e deixar pra trás as pessos que se incomodam tanto com isso, estou bem animada e com esperança de que daqui pra frente td irá melhorar pra mim, vida que segue, vida nova...

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí, Aline!
      Se sinta bem, se sinta linda, querida, amada e acolhida, sempre!
      Eu também já deixei pra trás a história dos quilinhos a mais. Hoje, agradeço a eles, pois ele me mostraram quem estava ao meu lado por gostar de mim verdadeiramente! Vida nova, vida que segue... e vamos mais leves de corpo e de alma depois que essas pessoas negativas saem de nossas vidas. E esses amigos que o tempo levoou, sem dúvidas, não eram tão amigos assim.
      Reitero o que eu disse no meu desabafo: estou sempre aqui! Sempre! Se eu demorar a responder é pq estou dormindo... mas respondo! Kkkkkkkkkkkk

      Super beijo, sua linda!

      Excluir
    2. Obg Fabiii!!!
      O tempo passa e a gte sempre sabe quem sim e quem não...
      A gte amadurece e aprende com a vida.
      Mil bjs!!

      Excluir
  8. Obrigada Fabi! Obrigada por trazer esse post emocionante, tocante e inspirador ♥
    Você conseguiu transmitir em palavras toda a sua emoção sobre esses assuntos que precisam – e muito – serem discutidos. A sociedade em geral necessita levar mais a sério a depressão, esse estigma de que a sociedade sempre levanta de que as pessoas que sofrem dessa doença fazem dramas demais, sem dar a devida atenção aos seus problemas não pode mais continuar assim.
    Noticias como essa, da morte do Chester, nos traz um sentimento tão necessário hoje em dia: a empatia. Somos induzidos a apontar e condenar os erros dos outros, sem tentar compreender o que realmente esta acontecendo, a triste e cruel realidade de julgarmos sem nos colocarmos no lugar da outra pessoa.
    Link Park embalou muito a minha adolescência, algumas músicas ainda tocam na minha playlist, e chorei mais uma vez ao ver o vídeo dessa música.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste saber que é preciso que alguém famoso e querido precise partir para que as pessoas deem o devido valor e importância à depressão, embora ela esteja presente em nossas vidas a todo tempo, né Mi? Fico arrasada sempre que isso acontece. Tento sempre levantar a bandeira da empatia, mas raramente sou ouvida... espero que essa realidade mude logo.

      Beijocas

      Excluir
  9. Fabi, acho que já disse aqui e digo de novo: precisamos falar sobre suicídio e depressão sim. As pessoas que acham que é só frescura, mas elas precisam entender que vai muito além. A vontade de não viver é muito triste e não escolhe raça e nem classe social, qualquer um pode sofre desse mal e qualquer um pode ajudar a salvar uma vida. É muito triste perder pessoas pra essa doença, mas agora é nos movimentar pra que notícias como essa não cheguem mais até nós.
    Beijoss!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos muitooo falar sobre o assunto, Crissie. Mas infelizmente as pessoas não têm consciência disso. Preferem continuar achando que tudo não passa de frescura, que as pessoas querem chamar a atenção e mais nada.
      Espero que essa realidade mude, e que todos, assim como eu, façam a sua parte!

      Beijocas

      Excluir
  10. Fabi!
    São dois assuntos que precisamos mesmo discutir, conversar, divulgar...
    A pessoa que tem depressão é tida como alguém que não consegue por si só sair desse quadro, a maioria acha que é algo fácil para elas e que estão assim porque querem, mas não é bem assim... A depressão é um sentimento que domina e não tem como sair dela se não for com ajuda profissional, por isso, devemos estar sempre atentos aos que nos rodeiam, observá-los, ver os sintomas, para que possamos encaminhá-los para algum profissional especializado, caso contrário, pode mesmochegar ao suicídio...
    Desejo uma ótima semana!
    “A vida guarda a sabedoria do equilíbrio e nada acontece sem uma razão justa.” (Zíbia Gasparetto)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A depressão é o mal do século e por essas e outras precisa ser mais abordada, e principalmente, precisa ser levada a sério!
      Eu torço muito para que as pessoas tenham mais empatia e amor pelo próximo, pois essa é a solução para todo os males...

      Beijocas

      Excluir
  11. Ainda não conesegui lidar com a morte do Chester :'(

    Mesmo longe você me ajuda muito, e esse texto é prova disso, bom.. você sabe.
    Depressão realmente é vista como frescura, como fraquesa, ou até mesmo como 'preguiça'. É triste ver pessoas ao seu redor achando que é brincadeira, e não se importam com você, muito pelo contrário, conseguem deixar mais pra baixo ainda, e os pensamentos ruins tomam conta. Estou chorando lendo seu texto, você sabe usar as palavras, e sabe dar força mesmo de longe, não vou falar muito, mas quero dizer 'obrigada', de coração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nem sei o que te dizer... fiquei emocionada com suas palavras! Saber que eu pude ajudar mesmo de longe faz com que tudo o que acredito valha a pena! <3
      Obrigada por me permitir estar por perto, mesmo que de longe. Obrigada pelo carinho e por ser tão importante pra mim.
      E, pra fechar, e pra vc não esquecer: eu tô aqui sempre! ;)

      Beijos, sua linda!

      Excluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo