Menu em imagem

Image Map

07 setembro 2017

{Resenha} ~ It - A Coisa - Stephen King ~

Oi  oi, pipows lindos!
Como estão? Todo mundo em ritmo de feriado prolongado? Aposto que sim!

Hoje eu vim pra cumprir uma promessa, mas infelizmente, não a cumprirei da maneira que eu gostaria.
No ano passado - durante o ano inteiro! - eu li IT - A Coisa, do meu adorado e querido Stephen King. Ele foi o livro  meta do ano de 2016, e eu prometi que se eu conseguisse terminar de ler, eu faria resenha em vídeo. Leia a resenha para que vocês possam entender esse "SE", rs!

Bem, depois de um ano pelejando, eu concluí a leitura, e desde então venho esperando a colaboração da minha operadora de internet para conseguir postar o vídeo da resenha para vocês, mas infelizmente não rolou. A operadora simplesmente deixou a minha internet ainda pior, e como hoje temos a grande estreia do filme homônimo, resolvi vir falar do livro por resenha mesmo. Mas podem ter certeza de que assim que puder eu farei um vídeo falando mais sobre a minha experiência com o livro. Palavra de escoteira blogueirinha. 😉✌



Quando li: Terminei em dezembro, 2016.
Título: IT - A coisa 
Autor(a): Stephen King
Editora: Suma das Letras
Páginas: 1104
Avaliação: 

Onde comprar? Amazon | Americanas | Saraiva | Submarino
Sinopse: Durante as férias escolares de 1958, em Derry, pacata cidadezinha do Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o real sentido da amizade, do amor, da confiança e... do medo. O mais profundo e tenebroso medo. Naquele verão, eles enfrentaram pela primeira vez a Coisa, um ser sobrenatural e maligno que deixou terríveis marcas de sangue em Derry. Quase trinta anos depois, os amigos voltam a se encontrar. Uma nova onda de terror tomou a pequena cidade. Mike Hanlon, o único que permanece em Derry, dá o sinal. Precisam unir forças novamente. A Coisa volta a atacar e eles devem cumprir a promessa selada com sangue que fizeram quando crianças. Só eles têm a chave do enigma. Só eles sabem o que se esconde nas entranhas de Derry. O tempo é curto, mas somente eles podem vencer a Coisa. Em "It - A Coisa", clássico de Stephen King em nova edição, os amigos irão até o fim, mesmo que isso signifique ultrapassar os próprios limites. 

IT - A Coisa, do mestre Stephen King, foi a minha meta literária do ano passado. Parece pouco ter determinado somente um livro como meta anual, mas acreditem, concluir essa leitura foi muito difícil, fiquei muito tensa. Acontece que eu tenho pânico de palhaços. Não é medinho, nem horror... é pânico mesmo. Fobia. Por essas e outras que foi tão complicado concluir o livro. Eu sofri muito no início, achei que não fosse conseguir. Chegar ao final foi uma vitória pessoal não só como leitora, mas como serumaninha também.

O livro conta a história de sete amigos que estão unidos por dois fatos. O primeiro deles é que todos sofrem bullying por algum motivo – um deles é gago, o outro, usa óculos e adora uma confusãozinha. Temos também um judeu, um negro, um gordo, uma menina fora dos padrões da época e um garoto asmático e frágil. Eles são constantemente perseguidos pelos valentões do colégio – que de quebra são os valentões da cidade também – e é exatamente essa perseguição que, inicialmente, os une. O outro motivo é que todos já tiveram um encontro com a Coisa e sobreviveram pra contar a história.

"Você quer um balão, Georgie? Ele flutua. Todos flutuam aqui embaixo. Venha flutuar também."

A Coisa, que se diz chamar Pennywise, teve encontros marcantes e terríveis com cada um deles.
Para cada criança ele assumiu uma forma diferente, afinal, ele se apresenta como aquilo que você mais teme. Pássaros gigantes, lobisomens, mendigos leprosos, palhaços. Nem preciso dizer que,
mesmo lendo que ele apareceu assim, assim e assado, eu só conseguia vê-lo como um palhaço, né? Pois é, esse livro tem esse poder de envolvimento.

Mas enfim. Uma das crianças mortas por Pennywise é George, o irmãozinho mais novo de Bill Gago, o garoto que é tido como o líder do grupo que se auto intitulou de Os Otários, e desde que George foi morto, Bill está determinado a ir atrás da Coisa para mata-la, e ele e seus amigos se unirão não só para brincar no Barrens... mas também para finalizar toda a maldade de Pennywise.

"Mas é de fé que os monstros vivem, não é?"

Acontece que a cada 25, 27 anos, ele aparece em Derry, Maine, para fazer o mal. A cada aparição a cidade é acometida por uma série de tragédias e atrocidades, e em todos esses anos, Pennywise tem se divertido matando crianças inocentes. Elas são seu alvo preferido, pois seus medos são ainda mais puros, mais fortes, mais fáceis de alimentar. Dão a ele ainda mais força, e a fé que elas têm de que tudo aquilo é real faz dele uma criatura invencível - ou quase.

Os Otários se reúnem e vão aos bueiros atrás da Coisa e pensam tê-la matado, mas como estão na dúvida, fazem um pacto de sangue: se ela voltar, eles voltarão. Todos eles.

E é o que acontece. 27 anos depois, Derry é acometida por uma série de crimes hediondos, e Mike, o único dos Otários que continuou na cidade, após fazer uma série de pesquisas e ter certeza de que todos os crimes são obra de Pennywise, entra em contato com cada um de seus amigos do passado. Todos eles se dispõem a voltar, sem nem mesmo pestanejar. E lá se vão todos para Derry, atrás dos demônios – ou DO demônio – do passado.

IT não gira somente em torno do fato de que Pennywise está tocando o terror na cidade e matando a torto e a direito, não. Ele conta detalhadamente a história de cada um dos personagens, como eles se encontraram, como se tornaram Os Otários, narra cada um de seus encontros com a Coisa. Os personagens são excepcionalmente bem narrados e construídos. Cada um tem uma característica marcante, uma personalidade bem desenvolvida e, sobretudo, cada um tem seu medo particular. É preciso ressaltar que a personagem mais bem narrada é, sem dúvidas, a cidade de Derry. Sim, queridos amigos, Derry é sim um dos personagens. Os cenários de King são sempre vivos, e quem já leu alguma de suas obras irá concordar comigo.


Stephen King, esse danado, nos deixa íntimos de cada um dos personagens. Íntimos a ponto de sentirmos falta de todos quando fechamos o livro. Nos vemos vivendo aqueles momentos junto com cada um deles, depois com todos unidos. Nos vemos tensos e temerosos como eles estão. Ele fala de amizade, companheirismo, compromisso, amor – e não só de terror. É aterrorizante? Muito. Pennywise invadiu meus sonhos trocentas vezes durante o período em que peguei firme na leitura. E, por incrível que pareça, eu sonhava com as demais situações do livro também – como a construção da barragem, a construção da sede do clube daqueles amigos tão fiéis e inseparáveis. Com os rolês que Bill dava em Silver, sua bike cor de prata.

"O quanto de nós ficou aqui? O quanto de nós nunca saiu dos canos e esgotos onde a Coisa vivia... e onde a Coisa se alimentava? Foi por isso que esquecemos? Porque parte de cada um de nós nunca teve futuro, nunca cresceu, nunca saiu de Derry? É por isso?"

A verdade é que é impossível não se envolver com cada uma das situações narradas por King. Ele enche linguiça? Claaaaro, do contrário não seria o King. A sensação que eu tenho sempre que começo um livro dele é de que estou subindo uma montanha. Fico tonta de medo no início, com a sensação de que não vou conseguir, que não terei fôlego, mas ao chegar ao cume e ver aquela paisagem - ou seja, ao acabar o livro -, sinto que valeu a pena. Me sinto vitoriosa. E há aquela particularidade que só o King tem: o lance é que até mesmo a encheção de linguiça, mesmo aquele troço que você lê e pensa “isso é mesmo relevante?” em algum momento faz sentido... e até mesmo aquela passagem que pode sim vir a ser irrelevante, te prende, te envolve.

Curiosidades: Como sempre, somos presenteados com algumas referências claras a outros livros do mestre. Na página 252, por exemplo, é mencionada a prisão estadual de Shawshank... Logo no início da página 924, se não me engano, temos a descrição de um Plymouth Fury 1958 vermelho e branco, ou seja, ele claramente fala de Christine - não que ele esteja presente, claro. Mas ele deu um jeitinho de nos lembrar desse clássico. Um pouco mais adiante, na página 928, nos deparamos com o número do quarto do hotel em que Richie Tozier está hospedado: 217. Ora, ora, senhores, se não é a mesma numeração do obscuro quarto no famoso hotel Overlook! Ah! A Roda e a Tartaruga da Torre também são citadas várias vezes, e no fim, têm papel importante. Não é genial? E o melhor de tudo: ele faz tudo isso com sutileza, sem dar spoiler das obras mencionadas. Tanto que quem não as leu nem irá reparar.

"O círculo se fecha, a roda gira e isso é tudo que há."

Como eu disse, foi uma leitura sofrida, complicada, mas não por ser um livro ruim, pelo contrário. Foi sofrida por que eu me borrava de medo sempre que o palhaço maldito aparecia, e como eu queria ler mais, eu ficava muitooo frustrada. Era algo do tipo “merda, vou precisar fechar o livro, não consigo continuar!!!”, mas daí eu respirava... tomava um ar e depois retomava a leitura.

Gente, é sério  isso.

Foi muito complicado, mas muito prazeroso. Estou orgulhosa de mim! Como eu mencionei ali em cima, foi como escalar uma montanha. Passei por cima dos meus medos e pavores, cresci como pessoa e como leitora. Este livro terá sempre um lugar especial em meu coração, não só por ter me proporcionado uma das melhores estórias que já li, mas por ter feito de mim uma pessoa melhor, mais forte, mais confiante. Sempre que termino um livro de King eu tenho a sensação de que eu mudei um pouquinho... e IT, sem dúvidas, foi o que mais me modificou.


12 comentários:

  1. Oi, Fabi!
    Amei sua resenha, perfeita!
    Estou muito ansiosa para começar a leitura desse livro. Como não irei assistir o filme nos cinemas e somente depois, vou começar a ler essa semana! Também acho que irei passar por um intenso envolver de emoções, mas já estou me preparando emocionalmente e a curiosidade está a mil!
    Adorei tudo que você escreveu. Deu para sentir o quanto essa leitura foi intensa para você e como marcou sua vida literária.
    Também estou gostando muito de ter a chance de ler essas maravilhosas obras desse autor, que mexem tanto com nossas emoções e nos fazem refletir sobre assuntos inimagináveis.
    Obrigada pela ótima resenha.
    Beijos e uma linda semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Márcia!
      Eu imagino o quão ansiosa vc deve estar! Eu fiquei super antes de começar também, e após começar, fiquei ansiosa para terminar. Ele mexe muito com a gente, nos deixa com as emoções super afloradas, por isso a ansiedade fica super elevada!
      Tomara que possa ler o mais rápido possível, e assim que o fizer, corre pra vir me contar!

      Beijocas!

      Excluir
  2. Olá!
    Eu tenho muita curiosidade em ler os livros do King, principalmente It, mas queria ler antes de ver o filme e o filme já está aí, não sei se vou aguentar a espera, hahah.
    Eu adorei a analogia que você fez com subir a montanha!! É bom que eu já vou me preparando, hahah.

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom ir se preparando mesmo, Mon, pois o livro é bem tenso, hahahah.
      E realmente fica em cima da hora pra ler, mas se der pra esperar pra ver o filme só depois, aconselho, viu. Sei não, mas acho que assim a experiência vai ser ainda mais completa!

      Beijocas

      Excluir
  3. Oi Fabi...
    Que resenha espetacular... Você sempre fala sobre os livros do King... Mas meu medinho básico ainda não me deixou ler nenhuma de suas obras... Gostei de saber que o livro vai muito além das 'maldades de um palhaço'... Quem sabe um ia eu crie coragem para lê-lo ou para assistir ao filme...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Cris! <3
      Espero que crie coragem, pois esse livro nos dá uma lição de vida ímpar! É sensacional, de verdade. Vai muito além do terror, suas lições são para serem levadas para a vida inteira!

      Beijocas

      Excluir
  4. Olá Fabi, tudo bem?

    Não li o livro ainda, mas ontem fui ao cinema assistir o filme com a patroa, e que obra de arte! Simplesmente fantástico o filme, fazia muito tempo que eu não assistia um filme de terror que realmente me causasse arrepios, e o It conseguiu isso!

    Fiquei com muita vontade de ler o livro, pena que agora deve estar caro pra caramba, mas uma hora eu adquiro ele e sacio a vontade!

    Uma dúvida: o livro, essa edição nova, conta a história deles crianças e adultos? Porque antigamente, beeem antigamente, a história era dividida em dois volumes, It a Coisa (crianças) e A Casa Negra (adultos). Eles juntaram tudo num volume só agora? Espero que sim, fica melhor ler toda a saga de uma vez só!

    Abraço!
    Marcelo Brinker
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcelo!
      Que delícia de comentário!
      Então, eu ainda não fui assistir o filme, mas pretendo fazê-lo neste fim de semana! Estou super ansiosa, pois como eu disse, esse livro foi marcante demais!
      Ontem o livro estava em promoção na Amazon, estava por R$42,90 - precinho amigo!

      E essa edição nova já conta a história na íntegra, da infância à fase adulta. Ele intercala os momentos, o que deixou tudo ainda mais real. Uma obra de arte também, sem dúvidas!

      Beijos

      Excluir
  5. Demorou mais chegou essa resenha. Ela demorou pra sair quase o mesmo tempo que vc demorou pra ler rsrsrs
    Mas valeu a pena. Vc conseguiu fazer a resenha de um livro que gostou muito sem se enrolar toda (vc tá ficando boa nisso Fabi) e passar do que o livro se trata de forma clara.
    Se dps dessa me deu vontade de ler o livro? Não muita pq sou muito medrosa rsrsrs, mas se um dia me aventurar nesse universo peço seus conselhos pra conseguir concluir a leitura sem ter uma parada cardíaca no meio :)
    Agora só falta vc assistir ao filme e dps nos contar se está a altura dessa belezura.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Olá, realmente pra quem tem fobia o livro pode ser um desafio, mas que bom que conseguiu cumprir sua meta! It é simplesmente uma das melhores obras que já li. King conduz tudo com perfeição e nos entrega uma história que não se apega somente ao medo, ela se trata de amizade e cumplicidade. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Primeiro parabéns pela coragem e pela tua superação! As vezes temos fobia e dificuldade de ver até para ler sobre determinados tipos de coisas. Eu tenho muita dificuldade para ler e ver coisas de terror. Confesso que li só uns dois. Sobre o livro, fui me arrepiando só de ler tua resenha, não teria coragem de ler isso a noite. Até fui pesquisar para adquirir o livro para ler, mas esta uma fortuna no momento. Parabéns pela resenha, vou tentar ler algo do gênero até o final do ano!

    ResponderExcluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo