Menu em imagem

Image Map

21 novembro 2015

{Resenha} ~ As vantagens de ser invisível - Stephen Chbosky ~

Oiii pipow!
Como estão? Animados para o sabadão!?
Eu estou MEGA animada! Essa chuvinha está me deixando cada dia mais feliz, rs.

Hoje vim falar do livro As vantagens de ser invisível e já sei que vou causar polêmica!

Quando li: Novembro, 2015.
Título: As vantagens de ser invisível
Autor(a): Stephen Chbosky
Editora: Rocco
Páginas: 223
Avaliação: 
Onde comprar? Submarino | Americanas | Saraiva


Sinopse: Manter-se à margem oferece uma única e passiva perspectiva. Mas de uma hora para outra sempre chega o momento de encarar a vida do centro dos holofotes.
A luta entre apatia e entusiasmo marca o fim da adolescência de Charlie nesta história divertida e ao mesmo tempo instigante.


Charlie, no início da história ainda com 15 anos, narra através de cartas enviadas a um desconhecido suas experiências adolescentes. Ele fala de sua família, amigos, escola, professores... e também de suas aventuras, traumas e amores.

Ele tem pais atenciosos à maneira deles. O pai, um cara fechado mas muito correto, tem sua maneira particular de demonstrar o amor que tem pelos três filhos. A mãe é uma mulher calada, que só fala quando necessário - a não ser que esteja nervosa. Ela é carinhosa e mima seus filhos também à sua maneira. O primogênito acaba de ir para a faculdade para ser um jogador de futebol americano. Ele é um cara legal, paciente e é um bom jogador.E também um bom irmão, bom filho. É o orgulho da família! Sua irmã, veterana no colégio, se esforça para ter sorte na vida amorosa, para conseguir uma boa faculdade, uma boa bolsa, e, à sua maneira, é atenciosa e carinhosa com Charlie. Acho até que ela o entende, pelo menos um pouquinho.

Isso faz dela uma guerreira. Entender a mente de Charlie é um desafio e tanto! Ele está naquela fase complicada em que não sabe o que fazer da vida, em que quer experimentar tudo o que vê pela frente... que quer ser notado, mas ao mesmo tempo, quer ser invisível. E, principalmente, Charlie almeja um grande amor. Ele quer ser amado, abraçado, beijado, quer que alguém pense nele daquele outro jeito... rs. Ele é uma figura! É engraçado e fala coisas bem profundas às vezes. Ama música, se diverte gravando fitas para os vários momentos de sua vida e também para os amigos. É fã de boa leitura e é muito inteligente... mesmo não parecendo.

Através de Sam e Patrick, Charlie tem acesso a tudo o que tem almejado. Eles aparecem na vida do garoto em um momento muito oportuno, pois nosso narrador acaba de perder um grande amigo, seu único amigo, até então. Ele é sempre citado, sempre lembrado por Charlie, mesmo tendo novos amigos e novas experiências.

Sam se torna não só sua amiga, mas também seu primeiro amor. Ela é uma veterana no colégio, mas ainda assim, não desdenha dos sentimentos de Charlie. Com ela, ele aprende não só o que o primeiro amor proporciona, mas também o que o corpo nos pede quando somos adolescentes. Ele aprende o que fazer em seu primeiro encontro com uma garota - que no caso foi Mary Elisabeth -, aprende que o verdadeiro amor preza o bem-estar do outro, mesmo que este não esteja ao seu lado.

Patrick lhe ensina a lealdade, companheirismo. E ele lhe mostra que o mundo não é só bonito, e que o amor também pode ser doloroso. Patrick é gay e tem um relacionamento às escondidas com um carinha popular do colégio, e este faz de tudo para que ninguém saiba sobre os dois. Mas as coisas acabam desandando, e Patrick, além de sofrer feito um condenado, mostra a Charlie que as pessoas são cruéis, preconceituosas e malvadas. Mas ele também lhe mostra que é sempre possível dar a volta por cima. Charlie acompanha tudo de perto, tentando assimilar os problemas do amigo da melhor forma possível.

Novos amigos, novas experiências, novos vícios... e, ainda assim, Charlie não apaga de sua mente o conforto que sua falecida tia Helen o proporcionava. Ela era a única que o abraçava com frequência. A única, além dos pais e irmãos, que lhe dava dois presentes - o aniversário dele é no dia 24 de dezembro, na véspera de Natal. Depois de tanto buscar conforto em sua tia, mesmo quando morta, uma lembrança acaba lhe mostrando algo que o desestrutura novamente. E é aí que Charlie começa a crescer de verdade.

Bom.
Quando comecei a ler o livro e divulguei o fato no Instagram e também em um grupo de amigos no WhatsApp (Beijo família ReadBook!), todo mundo falou que o livro era ótimo, que o tinham adorado e por aí vai. Como eu já tinha lido inúmeras resenhas do mesmo, comecei a leitura hiper empolgada! E... não achei tudo isso.

Tu te tornas eternamente responsável pela expectativa que crias. #Fato

Apesar de ter adorado as qualidades de Charlie - amar boas músicas, bons livros, ser amigo, bom ouvinte, inteligente -, achei sua falta de atitude e iniciativa algo incômodo. Achei isso meio sem sentido tendo em vista todas as qualidades que ele tem. Entendo que todos os problemas pelos quais ele passou tenham influenciado muito em sua falta de coragem - não entenda como covardia, não é o caso - de falar, de expressar sua opinião. Passividade é a palavra que define Charlie. E isso me incomodou muito, exatamente por ver tanto potencial no garoto.

Os demais personagens foram bem estruturados, com suas personalidades bem definidas, com suas frustrações e problemas tomando o espaço necessário para que Charlie aprendesse com elas, mas sem ofuscar o protagonista. Destaque para Patrick, que achei incrível!

Acompanhar as experiências de nosso protagonista foi incrível, engraçado e muitas vezes emocionante, mas em todas, senti falta da voz de Charlie. Senti falta de "porquês". Achei que ele iria ser o tipo que questiona tudo, mesmo com jeitinho, mas não foi o que aconteceu.

Apesar da nota baixa, eu gostei bastante do livro.
A nota se deve mais a minha frustração mesmo, rs.

E vocês, o que acharam?

Beijos!




17 comentários:

  1. Oi, Fabi!
    Esse livro foi responsável por eu chorar num ônibus lotado, estancado num engarrafamento.
    Não tenho muito de reclamar de Charlie porque me identifico muito com ele. Passei por algo traumatizante na vida, então entendo por que ele é assim.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, já chorei muito em ônibus lotado! kkkkkkkk
      E já dei gargalhada.... E já falei em voz alta coisas do tipo - Oi? Tá doido?
      E a pessoa sentada ao meu lado me olhar de cara feia.... Rsrs
      Acho que o trauma aproxima as pessoas mesmo! Acho não, isso é comprovado, rs.
      Acho que como já me acertei com meus demônios, senti falta de atitude nele! Mas... Ainda assim, gostei do livro!

      Beijos

      Excluir
  2. Oi Fabíola, eu vi o filme e não li o livro, e sinceramente amei o filme não tenho vontade de ler o livro até porque já vi o filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda!
      Eu tenho a impressão de que o livro é melhor do que o filme!
      Pelo menos foi o que me disseram, rs.
      Dê uam chance ao livro e depois me conte o que achou!
      Bjs

      Excluir
  3. Oi Fabi! Já passei por isso, criei muitas expectativas com um livro por conta de diversos elogios e quando li não foi tudo aquilo, o exemplo mais recente é A rainha vermelha. Eu sou do time que curtiu As Vantagens e até mesmo vi o filme por ter gostado da leitura, queria outras obras do autor, mas não tenho certeza se ele publicou outros.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho a treva quando isso acontece, Cida!
      Fico tão chateada, sabe...

      Como eu disse à Luiza, acho que por eu ter me resolvido com os meus traumas e demônios do passado, senti falta dessa mesma atitude para com o Charlie, sabe.
      Mas, no geral, é um livro lindo e divertido mesmo!
      To pra ver o filme hoje ainda! Haha

      E eu to doida pra ler A Rainha vermelha!
      Espero que eu goste. Rrsrsr

      BEijos!

      Excluir
  4. Oi Fabi, tudo bem?
    Eu nunca senti vontade de ler este livro, acredita? Sei lá eu tenho uns lances assim. O livro foi tão elogiado, tão bem falado nas resenhas, que acabei não tendo vontade de ler. E nem mesmo de assistir ao filme. Gostei muito da sua resenha, porque de todas que li até hoje, ela foi a que achei mais realista e sincera em relação ao livro.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lia!
      Rs
      Eu tb tenho esse problema. Quando falam bem demais do livro, acabo sendo uma das únicas que não gosta - isso quando eu tenho vontade de ler.
      Eu ainda não vi o filme, quero assistir pra ver se minha opinião muda um pouco - apesar de achar que isso não vai acontecer, rs!

      Beijos

      Excluir
  5. Oi, tudo bem?
    Eu li esse livro faz um (boom) tempo e gostei bastante, ele foi tocante pra mim.
    bj

    @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Jess!
      O livro realmente nos toca... Principalmente quando se trata dos traumas de Charlie e dos problemas pelos quais o Patrick passa! Mas, ainda assim, pra mim ele deixou a desejar!

      BEijos

      Excluir
  6. Eu não sou muito fã de livros assim, pois minha realidade já é bem chata e as vezes ate triste!!! Então eu busco mais livros de fantasia, pois aquele mundo magico me leva para longe e me faz sonhar!!! Parabéns pela resenha, cada detalhe que você conta me fez ate ficar curiosa pelo livro!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kakau, apesar de não parecer, o livro retrata uma realidade bem diferente, pelo menos da minha.
      Acho que senti isso por minha adolescência ter sido diferente da de Charlie - tive meus demônios, mas não eram os mesmos dele.
      Vale a leitura, apesar de também preferir livros fantásticos, rs.

      Beijos!

      Excluir
  7. euuuuu ameiiiiii esse livro.... ele á o tipo meio romance adolescente q deixa a gnt meui casada as vezes.... essas questoes de ta na escola e festa com a galera me irirta um pouco... gosto de historias que condizem com minha vida....

    mas a revelação finalll........ #choqueiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    eu fiquei horas pensando... em meuuuu que foda.... como assim... coitado.... e ninguem percebeu.... e que foda....

    sem conta que tem o kevin na capa... hahahhahah (mesmo ele sendo gay).... o kevim é o kevim hahhahahahhahahah

    mas na minha humilde opinião... a historia é boa.... hahahhahahhaha ( acho que essa foi a única resenha q li inteira eu morro de medo de spoiler hehehhehehehhe)

    ps: Bjuu família readbook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. shIASHIAUhsiuHAIUSh
      Kevin na capa é para arrasar o coração mesmo viu!
      Mas ele sofre muito nesse livro, coitado!!!

      A revelação no final me deixou de boca aberta tb! Na hora rolou um "Oi??? PQP!!!! Coitado cara!!!" Demorei pra digerir a informação...

      E pode ler resenha inteira aqui no blog sem medo pq não rola spoiler, jurooo!
      saisASHIAUHs
      Eu morro pra fazer de forma que eu não conte nada demais na resenha, relax!

      Beijo pra família mais amada do "uatizap" não pode faltar! Hehe...

      Beijos!

      Excluir
    2. O kevin ta pagando os pecados dele com a "QUINTA-FEIRA".... ahahhahhahaha

      é a revelação e chocante... de vc fica uma meia hora com cara de pastel sem saber oq fazer,, pra onde ir.. essas coisas hahahhahah

      e pode deixar... vou ler as resenhas agora.. vou parar de comenta só pra ganha a promoção hahahahhahahahhahahahhahahhahaha

      o bju nunca pode faltaaaaa

      Excluir
  8. oiiii....
    bom queria muito ler o livro pra depois assistir o filme....mas eu estou com muitas expectativas....e to com medo de me decepsionar....mas nao curta dar uma chance...vou deixar esfriar e ler depois....kkk...mas acho que vou me indentificar com o jeito do protagonista...quero ser notada mas tambem quero ser invisivel....kkk...e isso....otima resenha...bjs...

    ResponderExcluir
  9. Karol, acho que todo mundo se encaixa em alguma coisa na estória. Ou com os dilemas de Charlie... ou com os de Patrick... Ou de Sam. Ou dos demais personagens.
    Eu li o livro antes de ver o filme, e achei os dois bem bacanas, apesar de o livro não ter alcançado as minhas expectativas.

    Vale aleitura!

    BEijos

    ResponderExcluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo