Menu em imagem

Image Map

22 novembro 2016

{Resenha } ~ A Irmandade de Copra - Caroline Defanti ~

E aí, pipows!
Como estão?

Ontem fiquei empolgada fazendo uns banners aqui e interrompi os trabalhos para um festival gastronômico - rolou salgadinhoooo! - aqui em casa. Moral da história: num deu tempo de aparecer por aqui. Se eu soubesse que iria passar a noite praticamente em claro buscando incessantemente o danado do sono, eu teria vindo escrever pra vocês! Massss... acho que se eu tivesse feito isso, o risco de fazer uma resenha bem bosta ruim seria grande. Bem, cá estou!

Vim pra falar de um livro que terminei de ler ontem à tarde. Eu poderia ter vindo falar dele imediatamente? Sim. Mas eu resolvi esperar a fim de entender o que eu estava sentindo em relação a ele. A primeira sensação foi de que eu estava em uma montanha russa. Achei que isso fosse mudar... mas não mudou. Quer saber por que? Espia só.


Quando li: Outubro/Novembro, 2016.
Título: A Irmandade de Copra - Livro I
Autor(a): Caroline Defanti
Editora: Arwen
Páginas: 431
Livro cedido pela autora.
Avaliação: 
Sinopse: Em um futuro longínquo, a quase extinção do ser humano fez com que os poucos que restaram lutassem pela sobrevivência em colônias extraterrestres. Entretanto, alienígenas se apossam da Terra e a curam, mas os homens desejam ter seu planeta de volta.
Mas os seres não parecem dispostos a abrir mão de seu novo lar. Por isso, os homens criam novos soldados, uma raça nova capaz de combater essas criaturas e recuperar o planeta.
Assim nasce a Irmandade de Copra.

Aquilo que todos nós temos certeza de que acontecerá, realmente aconteceu. Os seres humanos acabaram com a Terra. Esgotaram todos os seus recursos, destruíram tudo o que podiam. Deixaram-na doente, infértil. Após o acontecido, eles (nós?) montaram colônias na Lua e em Marte. Enquanto isso, uma raça alienígena se muda de mala e cuia para a Terra. Eles curam todas as feridas desse planeta tão rico e esplendoroso, respeitam-no, vivem em harmonia com a natureza, consomem somente aquilo que lhes é necessário. Cuidam de cada ser vivo que nela habitam. E após tanto trabalho, os humanos, mesquinhos como sempre, querem seu planeta de volta. E aí a treta está formada!

Os Copranos - ou Sherriell, como eles se chamam - são fortes, rápidos e astutos. Por essas e outras, obviamente os humanos seriam trucidados na primeira investida! Pensando nisso, os cientistas das colônias criaram uma "raça" diferente: os Irmãos. Guerreiros geneticamente modificados que têm suas capacidades internas - seus instintos, seus anseios e talentos, digamos assim - melhorados através de um processo em que o DNA alien é injetado em seus corpos, dando a eles Dádivas - ou super poderes, caso você seja um fã de heróis. Juntos, eles formam a Irmandade, e sua missão é atender as necessidades das colônias, realizar missões muitas vezes na Terra e, claro, acabar com os copranos com o intuito de reaver aquilo que eles pensam ser seu por direito.

A premissa nos dá a entender que teremos muita ação, lutas, negociações, invasões e afins, mas não é bem isso que acontece. Talvez por se tratar do primeiro volume de uma - até agora - duologia, a autora optou por nos munir de informações acerca desse mundo brilhantemente criado por ela. Ela desenvolve muito bem a personalidade de cada personagem, explora cada uma das Dádivas dos Irmãos, fazendo com que a gente fique cada vez mais familiarizado com o que cada um é capaz de fazer; fala sobre as colônias de forma detalhada e, principalmente, disserta lindamente sobre como a Terra está após a mesma ter sido curada pelos copranos. Acontece que tanta explicação acabou me deixando perdida. Não por eu não ter entendido o propósito de tudo isso, mas no sentido de ficar me perguntando "tá, mas e ai?".

Por vezes, a narrativa tornou-se um tanto repetitiva e cansativa. Havia uma mudança de cenário aqui e outra acolá, mas o fim das contas era o mesmo. Ela se divide entre o que está acontecendo na Terra e o que está acontecendo na Lua, e apesar de elas acontecerem simultaneamente, tive a sensação de que o timer ficou diferente, como se o tempo na Terra fosse diferente do tempo na Lua... mas a autora não mencionou nada do tipo - não que eu me lembre.

Outra coisa que me incomodou foi o fato de que os sherriell têm um idioma diferente do nosso, e quando palavras ou expressões apareciam sem a tradução imediata, era preciso que consultar o glossário para saber o significado da palavra. Achei isso um tanto cansativo, e confesso que não olhei o significado de todas elas.

A diagramação do livro está impecável. Achei tudo lindo! Capa, fontes, textura do papel... amei. Pelo que eu percebi, a Arwen é uma editora super caprichosa, que leva em conta todos os detalhes. Ponto para o trabalho em conjunto entre editora e autores.

Apesar de todas as ressalvas feitas, eu gostei muito do universo criado pela autora. Como deve ter dado para perceber, virei fã dos aliens. Achei de extrema doçura da parte dela criar seres tão carinhosos, queridos e pacatos como eles. Adorei os detalhes que ela deu para a cultura deles, o significado que a natureza tem para esse povo, o respeito que eles têm por tudo e todos que estão à sua volta. Nem preciso dizer que estou ao lado deles nessa guerra, né?

Foram muitas ressalvas, eu sei. Mas acredito que todas elas tenham explicação e, talvez, a explicação seja o fato de se tratar do primeiro livro, como eu já mencionei. Eu sinceramente espero que seja só isso! Pois estou super ansiosa para ler a continuação e saber o desenrolar daquele final bombástico. Como assim que acabou assim? Rs.

Sinto falta dos Irmãos... e de Dakarai... Malika... Khaícue!
Não sabem de quem eu estou falando, né... uma pena. Espero que mudem isso em breve! Espero que possam ter o prazer de conhecer cada um deles. E pra ontem, hein! Pois pretendo falar do segundo livro aqui em breve. Só espero que a Carol não me torture muito com a espera do segundo volume... Hehehhe.


29 comentários:

  1. Oi Fabi, tudo bem?

    Festival gastronômico, meu Deus, que fome! Eu não conhecia o livro, que pena que a leitura foi cansativa em alguns momentos, mas realmente a premissa parece ser boa. Vou esperar mais um pouquinho pra conferir rsrsrsrsr

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Mi!
      Os festivais gastronômicos que rolam aqui em casa costumam ser um sucesso, viu! É cada comida delicinha... SEN OR! Hahahah

      A premissa do livro é fantástica e a estória em si tb! Mesmo com algumas derrapadas, as cisas se acertaram no final! :D

      Beijos

      Excluir

  2. Parece bem interessante, ótima ideia mostrar os aliens como o povo que tá tentando ajudar e como o ser humano pode ser egoísta e se achar dono de tudo. Já que nos filmes principalmente sempre somos vítimas, é bom pensar por outro ponto de vista.
    😘
    www.cupidobrega.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que foi exatamente isso que me deixou encantada, Aline! O fato de que desas vez não somos as vítimas! E que não somos os todos poderosos. Adorei!

      Beijos

      Excluir
  3. Oi Fabi! Ótima resenha!
    Gostei da premissa deste livro. Achei interessante o fato da autora usar a ficção para nos fazer refletir sobre a realidade. Adoro quando os autores fazem isso. E apesar das suas ressalvas terem me deixado um pouco receosa quanto a leitura, eu fiquei curiosa para conhecer mais dessa história. Concordo que quando o autor (a) faz muitas descrições, a leitura fica mais cansativa mesmo. Mas achei a história como um todo interessante e, se eu tiver a oportunidade, darei uma chance para esta leitura :)
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Anna!
      A autora conseguiu nos fazer refletir, realmente. Ela criou um mundo onde podemos facilmente nos encaixar, nos imaginar... e isso é o que mais me atrai nas fantasias. Poder me imaginar ali!
      E, sem dúvidas, apesar das ressalvas, ele merece uma chance, pois é um livrão!

      Beijos

      Excluir
  4. Oi, Fabi!
    Amo/sou festas com comida.
    Apesar de alguns pontos negativos, você me convenceu a dar uma chance ao livro.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção seis anos de Caverna Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, comida é vida! Kkkkkkkkk
      Fico feliz por ter se decidido a dar uma chance a ele! Apesar das ressalvas, é um livro imperdível!

      Beijos

      Excluir
  5. Oi, Fabi!
    Achei bem louco isso de outros seres curarem a Terra e fazerem dela seu lar, e pior que até agora não vi motivo algum pra ficar contra eles por isso... Pelo que eu vi a autora buscou nos dar esse ponto de vista mesmo. Eu acho que também concordaria que isso de ter que ficar olhando no glossário toda hora é bem incômodo, ela poderia trabalhar melhor nisso.
    Ainda não decidi se é um livro que eu leria ou não, mas vou esperar saber algo sobre o segundo volume.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, eu achei louco e bem provável. Eu sou o tipo de pessoa que acredita em tudo e duvida de tudo ao mesmo tempo, sabe? E pq não uma raça diferente não pode aparecer e curar a Terra depois que nós, humanos malvados, não a matarmos? Pra mim faz sentido, mesmo sendo louco demais!
      Acho que por isso que gostei do livro, pq ele me fez pensar "E SE?".
      E eu espero que ela reveja esse lance do glossário. É meio chato mesmo, rs

      Beijos

      Excluir
  6. Hey Fabi Gastronômica!! Kkkk.
    Se tratando de comida, esquecemos da vida mesmo. Kkk. Estou precisando de um festival desses. Comer e comer, apenas. Kkk.
    Ainda bem que tuas resenhas não são apenas para elogiar o livro. Fala o que realmente você sente.
    Eu estou torcendo pelos Aliens. E espero que eles vençam a guerra. Eu adorei a capa, e se você não reclamou de erros ortográficos, é sinal que a editora leva a sério a correção. Kkk.
    Bjinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comer é vida! Todo festival gastronômico - e tudo que envolva comida - será sempre bem-vindo! hsiHAiushIUAhs
      EU também espero que os Alliens vençam a guerra! Nada mais justo, afinal!
      Eles cuidam da Terra com tanto carinho... fizeram dela um planeta ainda melhor! Nada mais justo do que terem-na pra eles mesmo!
      #VaiCopranos

      Beijos

      Excluir
  7. Oi Fabi...

    Mais um livro (e uma saga, ai meu Deus!) para se levar em conta.
    Gostei da premissa bastante original e de saber do esforço da autora.
    O mais interessante é a crítica implícita da autora que fez com que você ficasse fã dos aliens hahaha
    Isso aumenta a curiosidade.
    Parabéns pela resenha.
    Espero ler em breve.

    Beijos
    Alana Marques
    colecionadoresdelivross.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela teve a manha, Alana!
      Eu sou chata pra cacete com fantasias. Piorou fantasia com ficção! Pra mim a pessoa em que ter o dom de me envolver com a trama! E ela conseguiu! Tanto que já até escolhi meu lado! sHUIAhsuiHAs


      Beijos

      Excluir
  8. Oie!
    Comer delicinhas é tudo de bom! E tudo que é feito em família, melhor ainda! Adoro.
    Quanto ao livro, ainda não me senti conquistada pela leitura, apesar de gostar do tema. Acho que vou aguardar o segundo livro (já que tenho uma lista/meta bem grande) e assim, espero sua resenha!
    Mas valeu a dica! Gosto muito das suas resenhas, sempre bem explicadas e sinceras. Obrigada.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui em casa a gente se reúne sempre e pra tudo, Márcia!
      É sempre uma delícia! E uma coisinha simples acaba virando festa! Hahhahaha
      E o livro é envolvente, apesar das ressalvas. Acho que qum é fã do gênero tem que levá-lo em conta! Mas pra quem tem séries e mais séries pra ler, é melhor esperar o segundo mesmo.
      E sinceridade aqui num vai faltar nunca, rs!
      Obrigada pelo seu carinho!

      BEijos

      Excluir
  9. Oi Fabii! Sumi uma semaninha (por causa do casamento da minha prima) e quase morri de saudade hehehe Já te disse q não gosto muito desse tipo de ficção que cria coisas totalmente irreais (sorry), mas espero que a continuação do livro não tenha tantas ressalvas como esse hehe :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiii fico feiz demais quando vcs falam que sentiram saudades! Hahhaha
      Afinal de contas, é recíproco! Eu morro de saudades de cada um de vcs!
      Eu não sou fã de ficção, e sim de fantasia. Aqui temos um misto dos dois, ficou balanceado e homogêneo. Vale dar uma chance! <3

      Beijos

      Excluir
  10. Poxa, manda uns salgadinhos para cá, deu fome agora :/

    Eu vou falir lendo suas resenhas, sério kkk, mais um livro que vai entrar para lista.
    A capa está linda demais (estou babando na capa ainda pera ai kkk), e gostei da premissa.
    Aonde consigo ter um alien como amigo? Pela sua descrição eles são muuuito fofos, já quero dar a Terra para eles cuidarem <3
    Uma pena quando o leitor se perde no meio de tanta explicação, eu não consigo decorar nem nome de personagem direito, quem dirá tantas informações? kkk
    Mas você me convenceu a ler, vou ler e vir aqui contar o que achei, quero conhecer essas 'pessoas' ai que você falou, e ansiosa para a resenha do próximo livro <3
    Beeeeijos <3
    Lost Words

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, fiquei com a mesma sensação! Quero ter um coprano como amigo! Eles são fofos demais da contaaaa!
      Infelizmente a gente se perde um pouco... mas as informações não ficam no ar, entende? Ela simplesmente se estende demais. Não tinha necessidade de tanto.
      Mas ainda assim, gostei demais do livro!

      Beijos

      Excluir
  11. Gostei da premissa dele e parece ter muita coisa legal. Mas não animei muito pra ler. Parece que a gente fica até meio enrolada com a leitura e se tem uma coisa que já estou é enrolada pra ler. Se o livro empaca em alguma coisa ou fica cansativo nem tenho muita coragem pra pegar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que cada livro funciona de um jeito pra cada um, rs. Quem sabe vc num curte a leitura? Mas talvez mais pra frente tb, né? É preciso estar na vibe certa pra se divertir! Hehehe

      Beijos

      Excluir
  12. Desculpe, mesmo tendo lido essa resenha três vezes eu parei na parte dos salgadinhos (fomeeeeeee) hihihih. Olha quando você falou aqui que o livro tem partes cansativas e repetitivas retirou toda a minha pouca vontade de ler, porque esse tipo de escrita me deixa muito muito cansada, parece que tudo gira em torno de dizer a mesma coisa e a trama não desenvolve. Uma pena!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que falar dos salgadinhos tirou o foco do livro, né Adriana!? Deixei todo mundo com fomeee! shIAhsiHAIshAs
      E realmente é uma pena, mas a trama se perde um pouco. Espero que as coisas se enlacem no segundo livro!

      Beijos

      Excluir
  13. Oii Fabi!!
    Eu tinha visto esse livro na livraria, faz um tempinho, tva doida pra ler uma resenha dle...Maravilhoso! Amei!
    Enredo excelente, parece fluir bem a leitura!
    Anotadíssimo!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que depende de cada leitor, Aline!
      Pra mim não fluiu bem... mas para aqueles que curtem o gênero, acho que vai funcionar mais do que funcionou pra mim!

      Beijos

      Excluir
  14. Já vi algumas fotos desse livro e tbm algumas pessoas fazendo resenha dele e tal. Parece ser legal mas tenho que admitir que a sinopse não me despertou muito interesse. A capa dele e bem bonita mas não é o tipo de livro que compraria se visse vendendo...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei a sinopse meio Star Wars demais, rs. Tipo muita ficção e poucas outras coisas. Mas o engraçado é que ela nem é tão descritiva assim. Eu diria que ela pincelou muito discretamente do que se trata a trama... enfim. É um bom livro apesar dos pesares! Hhahah

      Beijos

      Excluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

© PAUSA PARA PITACOS - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: RENATA MASSA | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo